Regulamentos de Tráfego Aéreo - VFR
Simulado de
1 - Antes de receber instrues do ATC o cdigo transponder utilizado o:
7700
7500
7600
2000
2 - O AFIS prestado por uma estao de comunicao localizada no aerdromo e recebe o nome de:
rdio
autorizao de trfego
torre
solo
3 - Todas as solicitaes, feitas pelo controlador, de ajustes de velocidade devem ser feitas em termos de milhas nuticas por hora (kt), baseadas na velocidade indicada em mltiplos de:
5kt
15kt
10kt
20kt
4 - A separao vertical mnima entre duas aeronaves voando num espao areo onde aplicado o RVSM ser de:
2000 ft
1000 ft
1000 m
500 ft
5 - No vo VFR a responsabilidade em evitar abalroamentos com outras aeronaves do (a):
APP
piloto em comando
AFIS
TWR
6 - O tem 15 do plano de vo, referente velocidade em cruzeiro, dever ser preenchido com a velocidade:
GS
VA
VS
VI
7 - O objetivo do ATIS :
aumentar a eficincia do controle e diminuir o congestionamento das frequncias de comunicaes
proporcionar a separao segura entre as aeronaves que chegam e que partem
controlar as aeronaves dentro da TMA
controlar as aeronaves dentro da ATZ
8 - O cdigo transponder que dever ser acionado por uma aeronave em emergncia :
7700
7500
7600
2000
9 - No solo, antes da decolagem, a presso para o ajuste de altmetro em:
QFE
QNE
QFF
QNH
10 - Os rgos ATC, TWR, ACC e APP controlam respectivamente os seguintes espaos areos:
FIR, TMA e CTR
UTA, CTR e TMA
FIR, TMA e UTA
ATZ, UTA e TMA
11 - O rgo responsvel em prestar ATC, FIS e AS no aerdromo e nas suas vizinhanas, a fim de se prevenir abalroamentos e colises :
ACC
AWY
APP
TWR
12 - Ambas aeronaves devero alterar seus rumos para a direita quando se:
aproximarem de frente
afastam
aproximam verticalmente
cruzam
13 - Um plano de vo apresentado s 04:00Z, e com hora estimada de calos fora para s 06:05Z tem validade at s:
06:50Z
04:45Z
06:45Z
04:35Z
14 - A autonomia mnima exigida para um vo VFR entre SBRF e SNAL, alternando SBMO, sabendo-se que o tempo de vo at o destino de 1 hora, ser de:
01:45h
01:15h
02:15h
01:55h
15 - compulsria a apresentao do plano de vo:
em vo VFR, cuja decolagem ser realizada de aerdromo desprovido de rgo ATS, at que haja possibilidade de estabelecer comunicao com um rgo ATS para apresentao do AFIL
em vo de aeronave em misso SAR
em vo VFR de aeronave que no disponha de equipamento rdio, desde que a decolagem seja realizada de aerdromo desprovido de rgo ATS e a aeronave no cruze fronteiras internacionais
antes de ser realizado vo IFR
16 - A abreviatura ALS, refere-se ao sistema de luzes:
da aeronave
do aerdromo
de txi
de aproximao
17 - A ICAO reservou quatro grupos de letras para identificar as aeronaves brasileiras, so eles:
PT,PP,PR e PU
PT, F, N e PA
PT, PR, PB e BR
PJ, PB, PP e N
18 - As fases de emergncia, so classificadas, respectivamente, como fase de:
urgncia, alerta e dvida
alerta, dvida e perigo
incerteza, alerta e perigo
socorro, incerteza e alerta
19 - O vo controlado pode ser definido por:
todo vo onde a regra de vo utilizada a IFR
todo vo sujeito autorizao de controle de trfego areo
todo vo realizado dentro de um FIR
todo vo onde a responsabilidade pela orientao para navegao da aeronave do controlador de trfego
20 - Os espaos areos controlados que compreendem as aerovias superiores e outras partes do espao areo superior, so denominados:
reas superiores de controle
reas de controle terminal
zonas de controle
reas de controle